Últimas notícias

A violência dos despejos e as mortes anunciadas

  • Date : 12 de dezembro de 2017
Famílias reunidas no acampamento Hugo Chavez depois do atentado Crédito: Comunicação MST

Os #DespejosDeNatal estão se proliferando em todas as regiões do Brasil. Só em Marabá, 20 reintegrações de posse foram autorizadas pela Vara Agrária de Marabá. Uma dessas reintegrações, a do acampamento Helenira Rezende, foi cumprida no dia 27 de novembro, deixando sem terra aproximadamente 700 famílias. Em Minas Gerais, no acampamento Gabriel Pimenta, uma reintegração de posse seria cumprida nesta terça-feira (12). Em Santa catarina, 180 famílias foram despejadas, no último dia 29 de novembro, do acampamento Marcelino Chiarello. E assim segue a ação truculenta do Estado Brasileiro contra famílias sem-terras neste país.
Nesta quarta-feira (13), está marcado o despejo do acampamento Hugo Chavez, em Marabá no Pará. No final da tarde e início da noite de ontem, esse acampamento foi atacado por pistoleiros. Diversos cartuchos de bala calibre 12 foram encontrados no local e comprovam a barbárie e a violência contra mulheres, crianças e homens que vivem no acampamento há mais de 3 anos e utilizam o local para estudo, sustento e moradia.

O acampamento Hugo Chávez já estava previsto como um caso de mortes anunciadas de 2017, situação denunciada pelo Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos (CBDDH), em setembro deste ano, no documento “Mortes anunciadas no Brasil em 2017”. O atentado nesta segunda-feira (11) e o despejo marcado para amanhã, só comprovam o clima de tensão e o risco de morte que essas famílias estão correndo.

A única saída possível para esse caso, bem como para os demais, é a suspensão da liminar de reintegração de posse, além da garantia de dignidade para essas famílias. A violência contra os povos do campo tem atingido níveis alarmantes, já totalizando 65 assassinatos em 2017, segundo levantamento da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Não queremos que as famílias do acampamento Hugo Chávez entrem para esta triste estatística. A carta de mortes anunciadas do Comitê é um alerta às autoridades e funciona como um pedido de APELO para que medidas sejam tomadas.

Cartuchos recolhidos no acampamento após atentado Crédito: Comunicação MST

A Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançaram uma campanha em prol dessas famílias pedindo para que cessem os #DespejosDeNatal. A Campanha pode ser acessada no link: http://bit.ly/2nRD1ML
Abaixo mais informações da Campanha, com link dos cartões de natal e o endereço de email das autoridades responsáveis.

AJUDE A EVITAR OS #DespejosDeNatal! ENVIE MENSAGENS

Crianças do acampamento e a incerteza de para onde vão após o despejo Crédito: Comunicação MST

AO GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ, À VARA AGRÁRIA E AO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ.
Os cartões de Natal personalizados (Em português e em inglês) estão disponíveis aqui https://goo.gl/9LwNPZ

ENVIE OS CARTÕES PARA OS E-MAILS DAS AUTORIDADES:
Governo do Estado do Pará: auxineri@gmail.com; institucional@pa.gov.br
Vice-Governadoria do Pará: vicegov.pa@gmail.com
Juiz da Vara Agrária Pará: amarildo.mazutti@tjpa.jus.br
Tribunal de Justiça do Pará: des.ricardo.nunes@tjpa.jus.br
Procuradoria Geral do Estado: chefiagab@pge.pa.gov.br
Comando Geral da PM: seccomandopmpa@gmail.com
Secretaria de Educação: luciane.lopes@seduc.pa.gov.br
Secretaria de Justiça e Direitos Humanos: gabinete@sejudh.pa.gov.br
Instituto de Terras do Pará: jose.souza@iterpa.pa.gov.br
INCRA Nacional: presidencia@incra.gov.br
INCRA Marabá: contato@mba.incra.gov.br